Keppeki Danshi! Aoyama-kun #1 – Jogador de futebol e maníaco por limpeza

Limpeza quase nunca é demais. Até no esporte.

Keppeki Danshi! Aoyama-kun é o título que carrega o selo nonsense só de ler sobre o que se trata. Junto de Aho-Girl, era minha aposta para que fosse o queridinho daqueles que estivessem a procura de boas risadas e diversão nesta temporada. Mas… o anime parece ter fugido do que esperava. Surpresas a seguir.


IMPRESSÕES DO EPISÓDIO

Logo de cara, já deixo avisado: Este é um anime onde o telespectador acompanha os acontecimentos da história na maior parte do tempo pela visão dos personagens que rodeiam o protagonista do que pelo próprio. Há uma certa “distância” entre quem assiste e o garoto, já que ele pouco se expressa e, quando o faz, é somente voltado a limpeza. Isso me recorda de Sakamoto Desu ga?, que apesar de sempre estar em busca de enaltecer o personagem, também acaba se apoiando mais na narrativa de outros; tanto Aoyama quanto Sakamoto ou demonstram pouco ou nada de seus pensamentos. Mesmo comparando com Sakamoto Desu ga?, diria que o anime não carrega tanta comédia quanto ele. A série também conta com o futebol, que está sim em segundo plano, mas que assume uma atmosfera séria quando precisa mostrar Aoyama se dedicando ao esporte; além disso, há um momento ou outro referente aos coadjuvantes que traz uma narrativa um pouquinho mais dramática. Mostra que a história não está totalmente voltada a fazer graça.

Sinceramente, estava esperando algo mais… cômico. Quando li a sinopse acreditava que me depararia com algo entre o próprio Sakamoto já citado antes e Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge, mas os momentos mais sérios e a determinação repentina no futebol me incomodam um pouco. Não é ruim, aliás, consegue me arrancar uma ou outra risada, mas estar entre um tema nonsense e tentar algo mais sóbrio parece atrapalhar o  tom do anime. Provavelmente também não podemos classificar a trama como “esporte”, pelo menos não colocando ele na mesma categoria que algo como Ballroom e Youkoso – que também está na temporada e tem como tema dança de salão -, pois as jogadas acontecem magicamente para Aoyama; ele é o talento nato e não há uma partida de fato. Sei que independente das minhas críticas haverá público para ele, porém dentro do que esperava, ele parece prometer algo e não cumprir totalmente.

Em relação a animação, devo dizer que é um dos grandes destaques da obra. Esperei mais de um episódio para avaliar já que é normal haver queda de qualidade – como aconteceu com Konbini Kareshi, por exemplo -, mas com esse basicamente não há o que reclamar; os personagens são bem feitos, os cenários também não são ruins e ainda há detalhes que realmente enriquecem o momento visualmente falando, como na imagem abaixo.

O anime conta com um traço que considero tradicional, mais redondinho, conseguindo ser bonito tanto em personagens masculinos quanto femininos. Outro aspecto que exalta a animação é a trilha sonora, que assume papel importante quando se trata de mostrar as cenas de futebol. Um prato cheio.

A abertura fica por conta de Bentham, com “White“, e a caprichada animação para a música. Mas o que realmente brilha é o encerramento, “Taiyou ga Kureta Kisetsu“, de Fujimi Koukou Soccer-bu, que tem algumas particularidades bem interessantes que gostaria de comentar. Primeiramente, é cantada pelos dubladores do anime – mais especificamente os membros do time de futebol – e ainda faz referência há um certo anime de futebol dos anos 80: Captain Tsubasa!

O design do encerramento remete àquele mesmo do anime de “Super Campeões“, seja no cabelo, no nariz arrebitado dos personagens ou mesmo aos seus olhos, além da música ter uma batida que lembra sons mais antigos; para completar, os quase dois minutos da ending mostram Aoyama correndo pela grama com o sol se pondo ao fundo, que se assemelha ao primeiro encerramento de Captain Tsubasa, no qual vemos basicamente a mesma coisa. Posso estar errada, até porque não encontrei informações em sites que uso como fonte, mas se for… que grande sacada!


CONSIDERAÇÕES FINAIS

No final das contas, minhas primeiras impressões sobre o título foram bem medianas. Provavelmente será aquele anime que assistirei somente se tiver tempo e não quiser me preocupar tanto com o plot, apenas para distração. Mesmo não sendo tão cômico como gostaria, recomendo a dar pelo menos uma olhada aqueles que gostaram de Sakamoto Desu ga? e Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge; os temas são diferentes, mas se reparar bem, os três se assemelham em fórmula e no modo como constroem o desenvolvimento de seus protagonistas. Fica a dica.

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post