Review – Comida e relacionamentos fracassados com ‘Shall We Have Dinner Tonight?’

Por que não falar do ex no jantar?

Tenho a mania de não ler a sinopse antes de começar uma série, mas não é algo que faço propositalmente. Quando escolhi começar Shall We Have Dinner Tonight? jurava que me depararia com uma obra nos moldes de Amaama to Inazuma, com capítulos recheados do gênero slice of life e de personagens falando sobre culinária.  Porém, para minha surpresa, a webcomic se mostrou mais profunda que isso. A refeição que os protagonistas compartilham na trama é só um pretexto que desencadeia lembranças de seus respectivos passados, contando sem ordem cronológica, sobre as recordações de seus antigos relacionamentos.


A HISTÓRIA

Do-hee Woo é uma mulher que teve apenas um relacionamento sério – que durou cerca de oito anos – e devido a longa duração do mesmo, ela encontra dificuldades em esquecer o ex-namorado e os momentos que vivenciou. Hae-Gyung Kim é um homem bonito que namorou diversas vezes durante a vida dele, porém o relacionamento mais duradouro teve prazo de apenas um ano; ao contrário de Do-hee, ele supera fácil e não olha para trás. Juntos, os dois começam a partilhar experiências que tiveram ao longo da vida, ora sendo essas do Hae-Gyung, ora da Do-hee.

Shall We Have Dinner Tonight?, de Park Seein, é uma webcomic coreana publicada de novembro de 2013 a dezembro de 2014 pela plataforma digital Daum, completa com 46 capítulos. A obra foi licenciada em inglês pelo SpotToon, editora digital americana. Além disso, há fortes rumores entre os gringos de que a série receba uma adaptação em kdrama – quem me dera!


COMENTÁRIOS GERAIS

Diria que mesmo tendo como foco um público-alvo mais maduro, a webcomic poderia ser destinada a qualquer um que queira ler um bom romance. A questão aqui é muito mais do que há dentro da bagagem da vida do que cenas de sexo – e nem se iluda achando que vai ter “alguma coisa” porque simplesmente não vai. Qualquer um que já teve algum relacionamento consegue em algum momento entender o que está se passando com os protagonistas e todos os seus conflitos.

Teoricamente deveria me sentir próxima da Do-hee já que não tive um número realmente grande de relacionamentos, entretanto, quando Hae-Gyung começa a expressar o que ele pensa sobre o assunto eu… me identifiquei completamente. O personagem tem uma visão muito realista e pé no chão do que é estar em um relacionamento a dois; para ele está tudo bem se as coisas acabarem, porque ele sabe que é efêmero. Já a garota, Do-hee, passa boa parte do tempo remoendo oito anos inteiros de algo que nunca mais voltar.

Normalmente me irritaria com uma protagonista assim, porém essa é uma das melhores características da trama: os dois personagens estão lá para que se identifique com eles, com o que eles sentem; hoje posso me ver no Hae-Gyung, mas ainda assim, há certas histórias que a Do-hee conta que entendo perfeitamente (e sem julgar). A autora cria uma narrativa onde todos com todas as vivências são bem-vindos.

Classificaria a arte da autora como aquilo que fica entre o 8 e o 80. Os pratos desenhados são incríveis a ponto de dar água na boca de quem lê, mas os personagens em si são bem… comuns. A protagonista é um exemplo claro disso, ela é bem simples, sem graça até se for comparada ao personagem masculino. Porém, o traço não é algo que prejudica a leitura, em comparação a tantas séries do nicho ela ainda sai na frente – Fluttering Feelings, meu anjo, estou falando de você.


CONCLUINDO

Jurava que Shall We Have Dinner Tonight? se tornaria uma das minhas webcomics favoritas, afinal de contas, a história tem romance, tem uma proposta diferente e ainda me fez identificar com os personagens. O que poderia dar errado, não é mesmo? A trama começa muito bem, é empolgante, mas conforme a autora vai chegando do clímax para a conclusão, as coisas… esfriam.

A criadora Park Seein monta uma ótima base para a conclusão com uma ideia válida e sólida. Porém, na hora de tirar o plano do papel, o esquema parece… forçado. Ela quer mostrar que os protagonistas evoluíram, que eles são pessoas melhores por terem se conhecido, mas o modo como isso é mostrado parece contraditório. É confuso. E tudo em um curto espaço de tempo e de capítulos.

Independentemente do final, continuarei buscando outros títulos da autora. Para se ter uma noção, a obra anterior chamada Gaussian Blur, tem avaliações medianas em sites como o Manga Updates; Shall We Have Dinner Tonight? veio um ano depois e o número de leitores que aprovaram já é maior. Ela tem potencial de fazer algo incrível, de se colocar nos favoritos, só precisa organizar melhor as ideias.

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post

  • Hijikata

    Concordo plenamente com você que a autora tem capacidade e potencial para entregar uma obra prima do gênero. Adorei a Review sobre um obra desconhecido pela maioria, continue assim.