Mangá de ‘Dorohedoro’ chega ao Brasil pela editora Panini

O “substituto” de I Am a Hero.

A Panini acaba de divulgar a chegada de mais um mangá para 2021. Trata-se desta vez de Dorohedoro, mangá de autoria da mente insana de Q Hayashida. A obra iniciou sua publicação na revista Monthly Ikki em 1999, que foi descontinuada em 2014, o mangá passou então a ser publicada em 2015 na revista Hibana, porém a mesma também foi descontinuada em 2017 e finalmente conseguiu se estabelecer na revista Gessan até o final de sua publicação em 2018, concluindo com um total de 23 volumes. A obra também ganhou uma adaptação animada produzida pela Netflix e pelo estúdio Mappa (o mesmo estúdio responsável pelas adaptações de Jujutsu Kaisen e da última temporada de Ataque dos Titãs) com 12 episódios que cobriu até a metade do volume 7 do mangá.

A edição chega em periodicidade mensal, ao preço de capa de R$29,90, no papel offwhite.

Em uma cidade tão lúgubre que é conhecida apenas como “Hole”, um clã de feiticeiros tem sequestrado pessoas das ruas para usar como cobaias em “experimentos” nas artes obscuras. Em um beco escuro, Nikaido encontrou Caiman, um homem com cabeça de lagarto e um caso grave de amnésia. Para desfazer o feitiço, eles estão caçando e matando os Feiticeiros que aparecem em Hole, esperando que eventualmente eles matem o certo e acabem com o feitiço. Mas quando En, o feiticeiro-chefe, fica sabendo de um homem-lagarto massacrando seu povo, ele envia uma equipe de “limpadores” para Hole, iniciando uma guerra entre os dois mundos.

Dih

Dih

Criador do Chuva de Nanquim. Paulista, 30 anos, editor de mangás da Panini Planet/Manga, designer gráfico e apaixonado por futebol e NBA.

Related Post